sábado, 24 de janeiro de 2009

Detestáveis Sedutores




Não sou psicóloga e, portanto, não me sinto no direito de afirmar que determinadas posturas caracterizam desvio de caráter, mas, é certo que tenho uma tendência natural a considerar a conduta de alguns indivíduos, no mínimo, repugnante.
Sei que muitos podem pensar que estou sendo extremista ao seguir essa linha de raciocínio, mas é inevitável não acreditar, inclusive, que quanto maior a naturalidade com que forem encaradas algumas atitudes, mais cúmplices nos tornaremos delas.
Há algumas semanas, um ex (um paquera que tive, nada muito sério) vem tentando se reaproximar de mim gradualmente. Ele saiu da cidade e, embora durante o tempo em que esteve fora praticamente não tenha mantido contato, talvez, por ter afirmado que tem planos de voltar, tenha julgado interessante me procurar novamente.
Apesar de serem inegáveis algumas qualidades, como, por exemplo, a maneira delicada com que trata a própria mãe, o esforço no que tange a tentativa de melhorar de vida e prover a família, ele sempre demonstrou claros sinais de volúpia que o faziam, na maioria das vezes, cometer desatinos que me levaram a crer que se tratava de uma pessoa, no mínimo, leviana.
Diante desse já conhecido quadro, procurei manter uma postura educada, porem, defensiva e em alguns momentos, “irônica” (sim, eu não poderia deixar de me divertir com a situação). Entretanto, quando ele se atentou as mudanças, em vez de agir com o mínimo de bom senso e respeito por si mesmo e, conseqüentemente, recuar, preferiu se valer do mais baixo dos golpes: pronunciou as três palavrinhas mágicas.
Meus amigos, aquelas palavras que em momento oportuno elevariam a minha crença no ser humano soaram como uma injeção de desanimo. Na realidade, foi um misto de desestímulo e nojo. Talvez uma imensa tristeza por saber que gente assim, que mente como respira, vai sempre tentar se aproveitar da fragilidade alheia e o que é pior, assim como eu, no passado, outras mulheres, principalmente se estiverem vulneráveis por qualquer motivo, estarão sujeitas a essa espécie de canalha e outros bichos.
O que mais me deixa indignada é não ter dúvidas de que enquanto eu estou aqui indignada, ele deve estar respirando e mentindo, e mentindo e respirando, por aí...

2 comentários:

  1. Infelizmente a maioria das pessoas, independentemente de gênero, são assim.

    A única vacina é analisar os valores essenciais, quando eles não são sinceramente sólidos a chance de desastre é imensa por isso você não está sendo extremista, está apenas se valorizando e evitando o abismo.Extremista é quem perde o rigor e cai na impulsividade.

    ResponderExcluir
  2. h uah auah auha .
    mais uma de Lois Lane

    ResponderExcluir