domingo, 16 de agosto de 2009

40 anos de Woodstock!!!


"Quem disser que se lembra de alguma coisa que aconteceu, na verdade, não esteve lá..."

Essa foi a afirmação de um senhor (bastante parecido com o cara da foto) que justificava o fato de não conseguir se lembrar de absolutamente nada sobre aqueles dias...
Achei engraçadíssima a colocação dele, mas comecei a me lembrar de tudo que foi discutido na época da escola, quando muito se falou sobre a comemoração dos 25 anos do movimento. E eu só tenho a dizer que foi necessária a explosão de liberdade para que se rompessem as últimas amarras do autoritarismo. Tudo bem, não eram as últimas... Mas a situação foi bastante aliviada.
Entretanto, a geração seguinte acabou pagando um preço: não soube o que fazer com tamanha liberdade. Na realidade, não conseguiu associá-la ao senso de responsabilidade que é essencial para que as coisas funcionem bem em todas as sociedades.
Mesmo na pré-adolescência, eu não me via em Woodstock. Imaginem euzinha aqui, toda suja de lama, cercada por gente peluda e fedorenta por todos os lados e tendo altas alucinações? Não... Não preciso de maconha muito menos de LSD para que minha imaginação fértil tome proporções gigantescas a ponto de atrapalhar minha vida...
Mas voltando ao assunto...
Aquele velhinho parecia ainda o jovem que, de fato, esteve lá. Penso que não perdemos nossas características essenciais com o tempo. Quem convive ou já conviveu com idosos, quem já visitou asilos, sabe bem do que estou falando. É por isso que, por mais que nos reformemos, lá no íntimo, ainda seremos os mesmos, com barba ou não.
E eu juro que não duvidaria de nada que me dissessem que teriam conseguido encontrar naquela barba...

5 comentários:

  1. Amiga,

    um, dois, três, testando... rsrsrsrs
    Adorei o texto, muito legal. Se Woodstock fosse hoje estaria proibido, por causa da gripe suína... Falando sério, foi um marco de liberdade pra nossa geração.
    beijos!

    ResponderExcluir
  2. Amiga, independente da gripe suina, se fosse hoje, eu não iria. Fala sério, imagine eu vivendo assim? A unica vantagem é que os homens naquela época não se depilavam.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. ora, eu continuo não me depilando!... mas tb não precisa ser um barbão daqueles. hehehe

    ResponderExcluir
  4. Esse barbão da medo!!! Kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Concordo com você que liberdade e responsabilidade tem que andar juntas sempre. Adorei o velhinho, muito doido.

    ResponderExcluir